1951-1965:  Apogeu,  parte 1 

 

Anos 50   _______________________________________________

 

                                  1950: Omnium à Americana

         Circuito da Boavista 1950: o Alfa Romeo 412 de Felice Bonetto, um carro construído em 1938 e grande vencedor do circuito portuense, depois de ter vindo a rolar pela estrada desde Itália!   O consagrado piloto italiano, conhecido pelo seu omnipresente cachimbo,  viria a ser uma das primeiras vítimas mortais do futuro Campeonato do Mundo de Marcas (iniciado em 1953) quando se despistou ao volante do seu Lancia D24, na Carrera Panamericana desse ano.   (foto: Arnold Gilbert)

            Vila Real 1950   Momentos anteriores à partida, onde podemos ver o Ferrari 166MM de Vasco Sameiro e os Allard J2 de Casimiro de Oliveira e de José Cabral. O vencedor seria o italiano Piero Carini, ao volante de um Osca, seguido pelos dois Allard dos pilotos portugueses.     (foto: colecção Manuel Taboada)

         Vila Real 1951: Na curva junto à Igreja de S. Pedro, Giovanni Bracco aproveita todos os milímetros da pista para levar de vencida o X Circuito Internacional de Vila Real, ao volante do Ferrari 212 Export Vignale Barchetta. Tinha passado cerca de um mês sobre a realização do Circuito da Boavista e alguns dos concorrentes de Vila Real eram os mesmos da corrida portuense.   (foto: António Cândido Taboada)

           Vila Real 1951 o álbum de fotos      (foto: colecção Armando Alaudemiro Carvalho)

          Vila Real 1952: Casimiro de Oliveira corta a meta como vencedor, ao volante deste Ferrari 225 S.   (foto: colecção Manuel Taboada)

           Circuito da Boavista,  II Grande Prémio de Portugal, 1952 :  imagem da grelha de partida.   (foto: Cine Alegre, colecção José Barros Rodrigues)

          Circuito da Boavista, III Grande Prémio de Portugal, 1953: José Arroyo Nogueira Pinto e o Ferrari 250 MM Vignale que venceu a prova, fotografado por Arnold Gilbert na zona do Lidador, num momento em que era perseguido pelo Lancia de Felice Bonetto. Para quem conhece o traçado do circuito da Boavista, é curioso notar que o muro do lado direito ainda existe parcialmente neste troço da antiga pista.   (foto: Arnold Gilbert)      

        Monsanto, 1953:  Stirling Moss no Jaguar XK120 C, no GP do Jubileu do ACP, a primeira prova internacional disputada no Circuito  traçado entre a auto-estrada do Estádio Nacional (actual A5) e os arruamentos do então jovem parque florestal de Monsanto. Moss ficaria em segundo lugar da geral, atrás do Lancia D23 de Felice Bonetto e à frente do Ferrari 250 MM de José Arroyo Nogueira Pinto.   (foto: ACP)

           Circuito da Boavista, I Grande Prémio do Porto, 1954:  Luigi Villoresi, na zona do Lidador, com o Lancia D24 "oficial" (#0005)  que encabeçaria um pódio partilhado com Castelotti (Lancia D24) e Peter Whitehead (Cooper Jaguar).   (foto: Arnold Gilbert)

         Macau, 1954: O primeiro Grande Prémio de Macau foi uma longa prova de 51 voltas (e quatro horas) disputada no circuito da Guia de 6,2 km.  A corrida contou com apenas 15 concorrentes e foi vencida pelo Triumph TR2 de Eddie Carvalho. A volta mais rápida foi realizada pelo Morgan Plus Four de Gordon Bell.     (foto: página oficial do GP de Macau)

           Circuito da Boavista, II Grande Prémio do Porto, 1956:   partida do GP, com (da esq. para a dir.) os Ferrari de António Borges Barreto (750 Monza), Joaquim Filipe Nogueira (750 Monza) e Harry Schell (857 Monza) a ocuparem a primeira linha da grelha. Vindo da terceira linha, o Ferrari 857 de Alfonso de Portago viria a ser o vencedor deste GP para carros de Sport, logo seguido de Phil Hill (Ferrari) e de Benoit Musy (Maserati 300S). No quarto posto ficaria o Ferrari 750 Monza, do talentoso piloto de Évora, António Borges Barreto. Este resultado valeu-lhe ser convidado de imediato pelo director de corridas da Ferrari para correr pela Scuderia italiana.

        Circuito de Monsanto, VI Grande Prémio de Portugal, 1957:  Triunfo do Maserati 300S de Juan Manuel Fangio e uma boa corrida de Masten Gregory (Ferrari 860 Monza).

       Circuito de Monsanto 1957, Taça Cidade de Lisboa: Integrada no programa do VI GP de Portugal, disputou-se uma corrida para carros de Grande Turismo que foi ganha pelo Mercedes 300 SL de José Manuel Simões

         Macau 1957Triunfo do Mercedes 300 SL de Pateman

        Circuito de Vila Real, 1958:  dois Maserati 300S, no novo troço logo após a Curva da Salsicharia.  Jean Behra lidera a corrida de Sport, seguido de Stirling Moss, o seu maior adversário nesse dia. Aparentemente, a luta pelo primeiro lugar foi bastante renhida e só mais tarde se saberia que para evitar riscos desnecessários, o resultado tinha sido combinado entre os pilotos tendo como base o resultado dos treinos, e as inúmeras ultrapassagens tinham sido meras encenações. No terceiro posto ficou o Maserati 300S de Francisco Godia-Sales e o melhor português foi Mané Nogueira Pinto, 7º da geral ao volante de um Osca 1500.  Já não se disputava o circuito de Vila Real desde 1952, e após esta prova, só voltaria a realizar-se de novo em 1966.     (foto: BP, colecção RG)

                                    Resultados GP de Angola 1958

 

      Monsanto 1959: integradas no programa do GP de Portugal de Fórmula 1 disputaram-se duas corridas complementares, sendo uma para carros de Grande Turismo e Sport e outra para viaturas de Turismo. Na foto vemos a partida da primeira, com o Porsche 550 Spyder de Joaquim Correia de Oliveira e o Mercedes 300 SL de João Vaz Guedes a adiantarem-se ligeiramente aos restantes adversários.

 

      Ferrari em Vila Real 1950

      Ferrari em Vila Real 1951

  

Anos 60   _______________________________________________

 

        GP de Angola, Luanda, 1960:  Jack Fairman com um Aston Martin DBR1 (#DBR1/5), pouco antes de desistir no Grande Prémio de Angola.  (foto: AS, colecção Fernando Pereira)

        Lordelo 1962:  alguns dos concorrente da categoria de Grande Turismo, pouco antes prova que viria a ser ganha pelo Ferrari 250 GT de Horácio de Macedo

         Montes Claros 1963:  Filipe Nogueira, a caminho do 4º posto, com o Porsche 550   (Foto: JPS)

             Cascais 1963:  Álvaro Lopes, com o Ferrari 250 GT, a caminho do 3º lugar na Taça Automóvel Clube de Portugal para carros de Grande Turismo. A prova seria ganha pelo Jaguar E de Luís Fernandes.

          Vila do Conde 1963: Luís Fernandes com o Jaguar E  vencedor da corrida de Grande Turismo e Desporto.   (foto: revista ACP, colecção Manuel Taboada)

           Luanda 1963:  Imagem da grelha de partida do VI Grande Prémio de Angola, disputado no Circuito da Fortaleza   (foto: revista ACP, colecção Manuel Taboada)

               Ferrari 250 GT de Horácio de Macedo     (por Manuel Taboada)

              Vila do Conde 1964: Partida para a prova de Grande Turismo e Desporto que viria a ser ganha pelo Porsche 718 RSK de Carlos Faustino

          Luanda 1964: imagem da grelha de partida do VII Grande Prémio de Angola, disputado no Circuito da Fortaleza.   (bilhete postal de autor desconhecido, colecção de António Janeiro)

           Cascais, 1964: a partida para o II Circuito de Cascais ( X Grande Prémio de Portugal). Na primeira linha da grelha está o Ferrari 250 GTO de Richard Chris Kerrison e o Lotus Elan 26R de Nicha Cabral, respectivamente primeiro e segundo da classificação final. António Peixinho, também em Lotus Elan, completaria o pódio final.

        Luanda 1965: imagem da grelha de partida do VIII Grande Prémio de Angola, novamente disputado no Circuito da Fortaleza.    (bilhete postal de autor desconhecido, colecção de António Janeiro)

            Vila do Conde, 1965: grelha de partida para a corrida de Grande Turismo e Desporto.  (foto: revista ACP, colecção RG)

        Cascais, Julho de 1965: já na grelha de partida, o jovem Carlos Gaspar verifica o aperto de uma roda no seu Lotus Elan vermelho, com o qual viria a vencer a prova pouco depois.  O cuidado de Gaspar deve-se ao facto de ser um problema recorrente nos Lotus Elan de competição com rodas com aperto central, estas desapertarem-se durante as provas.  Por exemplo, no ano seguinte, Pedro Torres Fernandes viria a desistir no Circuito do Lordelo precisamente por esse motivo.  (foto: revista ACP, colecção RG)

         Cascais, Julho de 1965: J.M.Albuquerque no Lotus Elan e H.Meiners no Porsche 356B saem da curva do restaurante "Retiro do Diabo" e entram na recta da meta. No final, problemas para o piloto do Porsche e o 5º lugar para Albuquerque.

         Montes Claros 1965:  dois Porsche 550 à saída da curva de Montes Claros   (Foto: António Videira, JC)

            GP de Macau 1965